Nuno Ramos: citação, descontinuidade, devir

João Paulo Andrade

Resumen


O artigo investiga a produção do artista brasileiro Nuno Ramos a partir de chaves conceituais que permitem um trânsito por suas obras a partir da perspectiva de um limite da comunicação e da linguagem.

Palabras clave


citação; descontinuidade; devir; matéria; linguagem

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


- Giorgio Agamben, O homem sem conteúdo (Belo Horizonte: Autêntica, 2012).

- Kátia Canton, Tempo e memória (São Paulo: Martins Fontes, 2009).

- Arthur Danto, Após o fim da arte: a arte contemporânea e os limites da historia (São Paulo: EdUSP, 2006).

- Rosalind Krauss, Caminhos da Escultura Moderna (São Paulo: Martins Fontes, 1998).

- Nuno Ramos, Cujo (São Paulo: Editora 34, 2011).

- __________, Ó. (São Paulo: Iluminuras, 2008).

- Nuno Ramos, Ricardo Sardenberg y Alberto Tassinari, Nuno Ramos (Rio de Janeiro: Cabogó, 2010).

- Sônia Salzstein, “Questões de materialidade”, em Guia das artes (São Paulo, vol. 3, no. 11, p. 42- 46, 1988).

- Paulo Venancio Filho, A Presença da Arte (São Paulo: Cosac Naify, 2013).

- François Zourabichvili, O Vocabulário de Deleuze (Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004).


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2017 Artilugio

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

ISSN 2408-462X (Electrónico)

Artilugio utiliza la Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional .