Estratégias e desafios na abordagem da microbiologia na Educação básica brasileira

Contenido principal del artículo

Danielle Ribeiro Rocha
Gabriele Marisco

Resumen

Os microrganismos contribuem de forma efetiva para a vida, o que justifica o estudo da microbiologia na Educação básica. Assim, o objetivo dessa pesquisa foi identificar como a microbiologia está sendo abordada e quais os desafios enfrentados pelos professores no ensino dessa ciência. A coleta de dados foi realizada com professores de diferentes regiões do Brasil por meio de um questionário, que foi analisado estatisticamente e através da análise de conteúdo. Os resultados evidenciam que a metodologia mais utilizada é a aula tradicional e que os principais desafios são a falta de recursos, tempo, infraestrutura adequada e apoio pedagógico. Contudo, os professores possuem interesse em investir em mudanças. Assim, considera-se importante investir na formação continuada para evidenciar a possibilidade de utilizar diferentes estratégias didáticas e incentivar mudanças na prática docente.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Ribeiro Rocha, D. ., & Marisco, G. (2022). Estratégias e desafios na abordagem da microbiologia na Educação básica brasileira. Revista De Educación En Biología, 25(2), 22–41. Recuperado a partir de https://revistas.unc.edu.ar/index.php/revistaadbia/article/view/37115
Sección
Artículos

Citas

Ausubel, D.P., Novak, J.D. y Hanesian, H. (1980). Psicologia Educacional (2ª ed.). Editora Interamericana.

Barbedo, G.T. y Monerat, C.A.A. (2014). Microbiologia no ensino fundamental: como os libros didáticos abordam essa temática. Ensino, Saude e Ambiente, 7(1), 1-12. https://doi.org/10.22409/resa2014.v7i1.a21157

Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. (2017). Brasil. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Ensino médio. (2018). Brasil. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/BNCC_EnsinoMedio_embaixa_site_110518.pdf.

Camargo, P., Silva, A.F.G. y Santos, A.C.A. (2018). A microbiologia no caderno do aluno e em livros didáticos: análise documental. Revista Ibero-americana de Educação, 78(2), 41-58. https://doi.org/10.35362/rie7823199

Carvalho, M.R.V. (2018). Perfil do professor da educação básica. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Brasília. www.rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/relatos/article/view/4083/3625.

Censo da Educação Básica, 2020: resumo técnico. (2021). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Brasil. https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resumo_tecnico_censo_escolar_2020.pdf.

Coelho, L.M., Marques, A.J. y Souza, D.G. (2019). A Teoria da Aprendizagem Signficativa e o ensino de História. Revista Educação Pública, 19(31), 1-13.

Costa, E.S. y Sampaio I.C.G. (2018). Utilização dos recursos didáticos no Ensino de Ciências e Biologia na rede pública da zona urbana de Humaitá/AM. Revista Ensino de Ciências e Humanidades - Cidadania, Diversidade e Bem Estar, 2(2), 153-162.

Cruz, K.P., Nery, G.L., Rebouças, A.A.D., Dantas-Silva, P.R., Cruz, J.S., Andrade, C.G.S. y Rahimy, R.M.L. (2019). Microbiologia no cotidiano: proposta de ensino por investigação de baixo custo. Atas de Ciências da Saúde, São Paulo, 7, 82-100.

Dantas, E.F. y Ramalho, D.F. (2020). O uso de diferentes metodologias no ensino de microbiologia: Uma revisão sistemática de literatura. Research, Society and Development, 9(8), 1-14. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.6396.

Deslandes, S.F., Gomes, R. y Minayo C.S.M. (2009). Pesquisa social: Teoria, método e criatividade (28ª ed.). SP: Vozes.

Duré, R.C., Andrade, M.J.D. y Abílio, F.J.P. (2018). Ensino de biologia e contextualização do conteúdo: quais temas o aluno de ensino médio relaciona com o seu cotidiano? Experiências em Ensino de Ciências, 13(1), 259-272.

Henrique, V.H.O. (2018). Abordagem dos conteúdos microbiológicos em livros didáticos do ensino médio. Revista Cientifica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da Eduvale, 01, 02-09.

Kimura, A.H., Oliveira, G.S., Scandorieiro, S., Souza, P.C., Schuruff, P.A., Medeiros, L.P., Bodmar, C.G., Sarmiento, J.J.P., Gazal, L.E.S., Santos, P.M.C., Koga, V.L., Cyola, P.S., Nishio, E.K., Morey, A.T., Tatibana, B.T., Nakazato, G. y Kobayashi, R.K.T. (2013). Microbiologia para o ensino médio e técnico: contribuição da extensão ao ensino e aplicação da ciência. Revista Conexão UEPG, 9(2), 254-267.

Madigan, M.T., Martinko, J.M., Bender, K.S., Buckley, D.H. y Stahl, D.A. (2016). Microbiologia de Brock (14ª ed.). Artmed.

Martelli, A., Filho, A.J.O., Guilherme, C.D., Dourado, F.F.M. y Samudio, E.M.M. (2020). Análise de Metodologias para Execução de Pesquisas Tecnológicas. Brazilian Applied Science review, 4(2), 468-477. https://doi.org/10.34115/basrv4n2-006

Masetto, M. T. (2015). Competência pedagógica do professor universitário (3ª ed.). Summus.

Medeiros da Fonseca, E. y Duso, L. (2018). Reflexões no Ensino de Ciências: elaboração e análise de materiais didáticos. Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino, 2(1), 23-44.

Mendonça, P.C.T. (2018). Microbiologia e saúde: análise de conceitos presentes em livros didáticos do Ensino Médio de Escolas Públicas de Itajubá – MG, 79p. https://saturno.unifei.edu.br/bim/201800290.pdf.

Oliveira, N.F., Azevedo, T.M. y Neto, L.S. (2016). Concepções alternativas sobre microrganismos: alerta para a necessidade de melhoria no processo ensino-aprendizagem de biologia. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 9(1), 260-276.

Piovesan, J.B., Silva, S.L., Oliveira, F.N.G. y Tonús, D. (2020). Educação superior, tecnologias educacionais e a formação continuada. En: D.R., Santos y N.L.V., Madureira (Org). Conquistas, reflexões e desafios na formação continuada docente. Nova Xavantina, MT: Pantanal, p.69.

Plano Nacional de Educação (PNE) (2014). Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Brasília: Congresso Nacional, Brasil. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm.

Rabelo, E.R., Martins, E.R., Januário, A.M.F.D.S. y Mangiavacchi, B.M. (2020). Aula prática com materiais de baixo custo: uma proposta alternativa para o ensino de microbiologia no ensino fundamental. Revista Científica Interdisciplinar, 5(1), 1-15.

Salerno, A.M.P. (2020). Metodologia da sala de aula invertida no ensino de microbiologia: reino fungi. [Dissertação de mestrado profissional - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia].

Salvador, P.T.C.O., Alves, K.Y.A., Rodrigues, C.C.F.M. y Oliveira, L.V. (2020). Estratégias de coleta de dados online nas pesquisas qualitativas da área da saúde: scoping review. Revista Gaúcha de Enfermagem, 41, 1-13. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2020.20190297

Theodoro, F.C.M., Costa, J.B.S. y Almeida, L.M. (2015). Modalidades e recursos didáticos mais utilizados no Ensino de Ciências e Biologia. Revista Estação Científica, 5(1), 127-139.

Tortora, G., Funke, B.R. y Case, C.L. (2012). Microbiologia. (10ª. ed.). Artmed.

Triviños, A.N.S. (1987) Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o Marxismo. Atlas.

Vieira, A.J.L. (2019). Os desafios da profissão docente vivenciados por professores/as com diferentes tempos de carreira. [Monografia de Licenciatura em Pedagogia, Universidade Federal da Paraíba]. https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/15249/1/AJLV29052019.pdf.