Relato de experiência no contexto do estágio curricular obrigatório: contribuições para a formação de professores de ciências e biologia

Contenido principal del artículo

Iury Kesley Marques de Oliveira Martins
Michel Mendes
Zilene Moreira Pereira Soares

Resumen

O presente trabalho tem como objetivo apresentar o processo formativo vivenciado no âmbito do Estágio Curricular Obrigatório III (ECO III) da Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás, Brasil. No ECO III são realizadas leituras e debates prévios de fundamentação, planejamento e desenvolvimento de estratégias para o ensino de biologia. Neste relato, descreve-se a experiência realizada em turmas da terceira série do Ensino Médio de uma escola pública estadual em Goiânia/GO na abordagem do tema Ecologia. Destacam-se a perspectiva de formação de professores e o percurso metodológico da disciplina que possibilitaram alcançar os objetivos do estágio. Por fim, salienta-se o papel do ECO III na formação inicial de professores, principalmente no que tange à ressignificação do conhecimento científico e da profissão docente.


ark:/s23449225/m4ay6befa

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Marques de Oliveira Martins, I. K., Mendes, M., & Moreira Pereira Soares, Z. (2021). Relato de experiência no contexto do estágio curricular obrigatório: contribuições para a formação de professores de ciências e biologia. Revista De Educación En Biología, 24(2), 111–122. Recuperado a partir de https://revistas.unc.edu.ar/index.php/revistaadbia/article/view/31073
Sección
Artículos
Biografía del autor/a

Iury Kesley Marques de Oliveira Martins, Universidade Federal de Goiás

Mestrando em Educação

Michel Mendes, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Educação

Zilene Moreira Pereira Soares, Universidade Federal de Goiás

Doutorado em Ensino em Biociências e Saúde

Citas

Andrade, B. L.; Zylbersztajn, A. & Ferrari, N. (2000). As analogias e metáforas no ensino de ciências à luz da epistemologia de Gaston Bachelard. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, 2(2):182-192. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epec/v2n2/1983-2117-epec-2-02-00182.pdf. Acesso em: 17 set. 2020.

Carmo, E. M. & Rocha, W. K. S. R. (2016). A produção dos saberes docentes e o estágio supervisionado: o que dizem as narrativas dos alunos. Inter-Ação, Goiânia, 41(3):725-742. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/41838. Acesso em: 09 set. 2020.

Carneiro, M. H. S. & Gastal, M. L. (2005). História e Filosofia das Ciências no Ensino de Biologia. Ciência & Educação, Bauru, 11(1):33-39. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v11n1/03.pdf. Acesso em: 26 ago. 2020.

Gasparin, J. L. (2015). Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 5. ed. rev., 2. reimpr. Campinas, SP: Autores Associados.

Geraldo, A. C. H. (2009). Didática de ciências naturais na perspectiva histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados. (Coleção formação de professores).

Libâneo, J. C. (2012). O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, 38(1):13-28. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v38n1/aop323.pdf. Acesso em: 03 set. 2020.

Mellini, C. K. & Ovigli, D. F. B. (2020). Identidade docente: percepções de professores de biologia iniciantes. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, 22:e16364. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epec/v22/1983-2117-epec-22-e16364.pdf. Acesso em: 05 set. 2020

Moraes, C. B.; Guzzi, M. E. R. & Sá, L. P. (2019). Influência do estágio supervisionado e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) na motivação de futuros professores de Biologia pela docência. Ciência & Educação, Bauru, 25(1):235-253. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v25n1/1516-7313-ciedu-25-01-0235.pdf. Acesso em: 29 ago. 2020.

Morin, E.; Ciurana, E. R. & Motta, R. D. (2003). Educar na Era Planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. São Paulo: Cortez. Disponível em: http://abdet.com.br/site/wp-content/uploads/2015/04/Educar-na-Era-Planet%C3%A1ria.pdf. Acesso em: 08 out. 2020.

Nascimento Jr, A. F.; Souza, D. C. & Carneiro, M. C. (2011). O conhecimento biológico nos documentos curriculares nacionais do Ensino Médio: uma análise histórico-filosófica a partir dos estatutos da biologia. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, 16(2):223-243. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/228/160. Acesso em: 08 out. 2020.

Pimenta, S. G. & Lima, M. S. L. (2017). Estágio e docência. 8. ed. rev. ampl. São Paulo: Cortez.

Razuck, R. C. S. R. & Rotta, J. C. G. (2014). O curso de licenciatura em Ciências Naturais e a organização de seus estágios supervisionados. Ciência & Educação, Bauru, 20(3):739-750. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v20n3/1516-7313-ciedu-20-03-0739.pdf. Acesso em: 10 out. 2020.

Rosa, J. K. L.; Weigert, C.& Souza, A. C. G. A. (2012). Formação docente: reflexões sobre o estágio curricular. Ciência & Educação, Bauru, 18(3):675-688. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v18n3/12.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

Saviani, D. (2011). Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11ª ed. Campinas, SP: Autores Associados.

Secretaria de Estado de Educação De Goiás. Currículo Referência da Rede Estadual de Educação de Goiás. 2012. Disponível em: http://www.seduc.go.gov.br/. Acesso em: 19 out. 2020.

Silva, A. P. T. B. & Bastos, H. F. B. N. (2017). Uma proposta metodológica para o estágio curricular supervisionado na EAD: articulações entre CEK e Grupo Cooperativo. Ciência & Educação, Bauru, 23(3):741-757. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v23n3/1516-7313-ciedu-23-03-0741.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

Universidade Federal De Goiás (UFG). Resolução CEPEC nº 1527/2017. Fixa o currículo pleno do curso de graduação em Ciências Biológicas modalidade Licenciatura. Disponível em: https://www.ufg.br/n/63397-resolucoes. Acesso em: 06 set. 2020.

Vasconcelos, B. M. (2018). História ambiental e ensino de história através da teoria da complexidade de Edgar Morin. 2018. 195f. Dissertação (Mestrado em Ensino de História) Universidade Estadual de Maringá, Maringá. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/handle/capes/431531. Acesos em: 04 set. 2020.