A utilização de jogos como recursos didáticos facilitadores no ensino de Biologia para alunos do ensino médio

Contenido principal del artículo

Suelen Custódia Mendes
Antonio Frederico de Freitas Gomides

Resumen

O processo de aprendizagem constitui um grande desafio para os educadores, sendo a aplicação de diferentes metodologias uma forma eficiente de promover o conhecimento científico nos educandos. Este trabalho teve como objetivo desenvolver um jogo de tabuleiro que facilite a aprendizagem, unindo aspectos lúdicos aos cognitivos na construção do conhecimento. O jogo denominado Biodescubra foi aplicado em sala de aula com alunos do 2º ano do Ensino Médio. Para avaliação dos resultados foi aplicado questionários e realizada avaliação quanti-qualitativa, utilizado o programa estatístico R (uma linguagem de programação) para dados não paramétricos, comparando os dois grupos pelo teste exato de Fisher para a diferença entre proporções da amostra independente. A aplicação do jogo melhorou o desempenho acadêmico dos alunos quando comparado aos alunos que foram submetidos ao método de ensino tradicional. Pode-se concluir que os alunos aprovam o uso do jogo e atribuíram a este a capacidade de auxiliá-los na aprendizagem dos conteúdos. Esses resultados indicam potencial para o jogo se tornar uma ferramenta viável para o ensino de Biologia de forma motivadora e divertida.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Custódia Mendes, S., & de Freitas Gomides, A. F. (2020). A utilização de jogos como recursos didáticos facilitadores no ensino de Biologia para alunos do ensino médio. Revista De Educación En Biología, 23(1), 64-78. Recuperado a partir de https://revistas.unc.edu.ar/index.php/revistaadbia/article/view/27479
Sección
Experiencias Educativas
Biografía del autor/a

Suelen Custódia Mendes, UFJF Campus Governador Valadares

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Montes Claros. 

Mestra em Ensino de Biologia pela Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares.

Antonio Frederico de Freitas Gomides, UFJF Campus Governador Valadares

Professor de Biologia Celular, Biologia Celular e Molecular e Citologia Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares Coordenador Local do Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - PROFBIO

Citas

Almeida, M. (2013). Jogos da memória para o ensino do corpo humano em ciências e biologia. Monografia (Especialista em Ensino de Ciências). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Paraná.

Alves, R. M. M.; Araújo, M.S.M.; Lustosa, M. S. e Souza, C. N. S. (2015). O jogo pedagógico no ensino de biologia: uma abordagem em sala de aula. In: Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, 12, 2015, Paraná.

Borges, G. A.; Lima, C.O.C.; Granjeiro, E. M.; Sarinho, V. T. e Bittencourt, R. A. (2016). Body: Um Jogo Digital Educacional de Tabuleiro na Área de Fisiologia Humana. In: XV SBGames. Anais eletrônicos. São Paulo de 8 a 10 de setembro de 2016:412-420.

Campos, L. M. L.; Bortoloto, T. M. e Felicio, A. K. C. (2003). A produção de jogos didáticos para o ensino de Ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Cadernos dos Núcleos de Ensino. São Paulo: 35-48. Disponível em: < http://www.unesp.br/prograd/PDFNE2002/aproducaodejogos.pdf >. Acesso em 12 outubro de 2017.

Canto, A. R. e Zacarias, M. A. (2009). Utilização do jogo Super Trunfo Árvores Brasileiras como instrumento facilitador no ensino dos biomas brasileiros. Ciências & Cognição, 14(1):144-153.

Carmo, S. e Schimin, E. S. (2008). O ensino da Biologia através da experimentação. Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), da Secretaria de Estado de Educação do Paraná, Guarapuava. Disponível em < http://dgi.unifesp.br/sites/comunicacao/pdf/entreteses/ guia_biblio.pdf >. Acesso em 15 outubro de 2017.

Eiterer, C. L. e Medeiros, Z. (2010). Metodologia de pesquisa em educação. Belo Horizonte: UFMG - Faculdade de Educação.

Goldbach, T.; Pereira, A. P.; Silva, B. A. F. S.; Okuda, L. V. O. e Souza, N. R. (2013). Diversificando estratégias pedagógicas com jogos didáticos voltados para o ensino de Biologia: ênfase em genética e temas correlatos. In: IX Congresso Internacional sobre Investigación en Didáctica de Las Ciencias. Girona: 1566-1572.

Huizinga, J. (2000). Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 4. ed. São Paulo: Editora Perspectiva.

Jorge, V. L.; Guedes, A. G.; Fontoura, M. T. S. e Pereira, R. M. M. (2009). Biologia limitada: um jogo interativo para alunos do terceiro ano do Ensino Médio. In: VII ENPEC. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis: 8 de novembro de 2009: 11-15.

Krasilchik, M. (2008). Práticas de Ensino de Biologia. 4. ed. Revista e ampliada. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Moraes, T. S. (2016). Estratégias inovadoras no uso de recursos didáticos para o ensino de ciências e biologia. Dissertação (Mestrado Profissional Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador. Disponível em <http://www.cdi.uneb.br/site/wp-content/uploads/2016/04/Dissertação-Tatyane-da-Silva-Moraes.pdf > Acesso em 02 maio de 2019.

Nicola, J. A. e Paniz, C. M. (2016). A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. Revista NEaD-Unesp, 2(1): 355-381.

Piaget, J. (1990). A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC - Livros Técnicos e Científicos.

Sá, S. R. A. N.; Cardoso, F. S.; Motta, E. S. e Yamasaki, A.A. (2018). Jogo? Aula? “Jogo-aula”: Uma estratégia para apropriação de conhecimentos a partir da pesquisa em grupo. Revista de Ensino de Biologia – RenBio, 11(2): 5-19.

Savi, R. (2009). Utilização de Projeção Multimídia em Salas de Aula: observação do uso em três escolas públicas. In: XX Simpósio Brasileiro de Informática na Educação – SBIE, 2009. Anais eletrônicos. Florianópolis de 17 a 20 de novembro de 2009. Disponível em < http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/1148/1051 > Acesso em: 09 mai. 2019.

Sossela, G. S.; Crocetti, S. (2013). Jogos como facilitadores do ensino de biologia. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE artigos, v. 1. Secretaria de Educação do Governo do Estado do Paraná. Paraná.

Souto, R. V. S. (2015). Biocombat: jogo estratégico de cartas como instrumento didático no ensino de conceitos associados ao reino monera. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2015.

Vygotsky, L. S. (1991). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4 ed. São Paulo: Editora Martins Fontes.