Globalização e integração regional: a importância das redes sociais nacionais, regionais, internacionais e transnacionais

Edélcio Vigna

Resumen


Este artigo se propõe a relacionar, do ponto de vista do conceito de sistema-mundo moderno de Wallerstein e da teoria de processo político de Tarrow e Tilly, a questão da integração regional latino-americana como um dos desdobramentos políticos do processo de globalização do mercado, controlado pelas grandes corporações dos Estados centrais, que possibilitou às redes sociais heterogêneas a percepção de uma abertura de oportunidade e ameaça política que as conduziu pelas múltiplas trajetórias da transnacionalidade. A abordagem metodológica utilizada é qualitativa e histórica.


Palabras clave


Sistema-mundo; Aliança Social Continental; redes transnacionais

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Abers, R.; Von Bülow, M (2011): “Movimentos sociais na teoria e na prática: como estudar o ativismo através da fronteira entre Estado e sociedade?”, Sociologias, Ano 13, N° 28, pp. 52-84.

Alonso, A. (2009): “As teorias dos movimentos sociais: um Balanço do debate”, Lua Nova, N° 76, pp. 49-86.

Barros, F.L. (2011): “Redes e participação social em campos políticos da cooperação internacional – a experiência brasileira”, Revista Sociedade e Estado, Vol. 26, N° 2.

Campolina, A. (2004): G20: origem, significados e implicações para a política comercial brasileira. Dissertação de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Área de Concentração em Estudos Internacionais Comparados. Rio de Janeiro: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Curso de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade.

Cardoso, E. (1989): “Hiperinflação na América Latina”, Revista de Economia Política, Vol. 9, No 3.

Carmo, R.L.; Ojima, A.L.R.O.; Ojima, R.; Nascimento, T.T. (2007): “Água virtual, escassez e gestão: O Brasil como grande “exportador” de água”, Ambiente & Sociedade, Vol. X, N° 1, pp. 83-96.

Carneiro, F.L. (2014): “A parceria transpacífica: principais características e impactos sobre a regulação do comércio mundial”, Boletim de Economia e Política Internacional, N° 18.

Castells, M. (2005): A Sociedade em Rede: do Conhecimento à Política, in A Sociedade em Rede: Do Conhecimento à Acção Política. Conferência promovida pelo Presidente da República, Centro Cultural de Belém.

Ceceña, A.E. (2005): “Estratégias de construção de uma hegemonia sem limites”, en: Ceceña, A. E. (comp.) Hegemonias e emancipações no século XXI, Buenos Aires, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales - CLACSO, pp. 35-57.

____________ (2014): La dominación de espectro completo sobre América. Acceso: http://www.rebelion.org/noticia.php?id=180149

____________ (2014): “Los golpes de espectro completo”, América Latina en Movimiento, N° 495. Disponible en: http://www.alainet.org/es/active/73900

Dobb, M. (1983): A evolução do capitalismo, Edição Abril Cultural.

¬¬¬¬¬____________ (1977): “Uma réplica”, en: Sweezy (et al.), A Transição do feudalismo para o Capitalismo, Rio de Janeiro, Paz e Terra.

Jasper, J.M. (2012): “¿De la estructura a la acción? La teoría de los movimientos sociales después de los grandes paradigmas”, Sociológica, Año 27, N° 75, pp. 7-48.

Jelin, E. (2003): La escala de la acción de los movimientos sociales. In Más allá de la nación: las escalas múltiples de los movimientos sociales, Buenos Aires, Libros del Zorzal.

Giraldo, J. (2010): Fusil o toga, toga o fusil: El Estado contra la Comunidad de Paz de San José de Apartadó, Bogota, Editorial Codice.

Gramsci, A. (1999): Cuadernos de la Cárcel. Tomo 1 - Cuadernos 1 (XVI) 1929-1930 y 2 (XXIV) 1929-1933. Edición crítica del Instituto Gramsci, Puebla, Universidade Autônoma de Puebla.

McAdam, D.; Tarrow, S. (2011): “Movimentos Sociais e Eleições: por uma compreensão mais ampla do contexto político da contestação.”, Sociologias, Ano 13, No 28, pp. 18-51.

Marangoni, G. (2012): Anos 1980, década perdida ou ganha?, IPEA, Año 9, Edição 72.

Martens, L. (1992): “Balanço do colapso da União Soviética: Sobre as causas de uma traição e as tarefas futuras dos comunistas”, Para a História do Socialismo, disponible en: www.hist-socialismo.net

Martins, C.E. (2011): Globalização, dependência e neoliberalismo na América Latina, São Paulo, Boitempo.

McAdam, D.; Tarrow, S.; Tilly, C. (2005): Dinámica de la contienda política, Hacer Editorial.

McAdam, D.; Tarrow, S. (2011): “Movimentos Sociais e Eleições: por uma compreensão mais ampla do contexto político da contestação”, Sociologias, Ano 13, N° 28, pp. 18-51.

Merleau-Ponty, M. (1999): Fenomenologia da percepção, São Paulo, Martins Fontes.

Mignolo, W.D. (2007): “El pensamiento decolonial: desprendimiento y apertura: un manifiesto y un caso”, en Castro-Gómez, S.; Grosfoguel, R. (comps.), El giro decolonial: Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global, Bogotá, Siglo del Hombre Editores, Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontifi cia Universidad Javeriana, Instituto Pensar.

Mohamadieh, K. (2015): “Os fundos abutres sangram a economia dos países pobres”, Other News, disponible en: http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/Os-fundos-abutres-sangram-a-economia-dos-paises-pobres/7/33232

Nogueira, P.B. (1994): “O consenso de Washington: A visão neoliberal dos problemas latino-americanos”, en Barbosa Lima Sobrinho e outros autores, Em Defesa do Interesse Nacional: Desinformação e Alienação do Patrimônio Público, São Paulo: Paz e Terra.

Novion, J. (2011): Las últimas Fronteras del Sistema Capitalista: hegemonia, Integración econômica y Seguridad em las Américas. Amazonia y el futuro en cuestión. Tesis de Doctorado en Estudios Latinoamericanos, Universidad Nacional Autónoma de México.

Nunes, J.A. (2009): “O resgate da epistemologia”, en Sousa Santos, Boaventura de y Meneses, Maria de Paula (orgs.), Epistemologias do Sul, Ed. Almedina.

Preciado, J. (2008): “América Latina no sistema-mundo - questionamentos e alianças centro-periferia”, Caderno CRH, Vol. 21, N° 53, pp. 253-268.

Rangel, Lúcia Helena (coord.) (2014): Relatório Violência contra os Povos Indígenas no Brasil Dados de 2014, Publicação do Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

Rangel, L.H.; Liebgott, R.A. (2014): “Governo federal e o fomento às violências aos direitos indígenas”, Relatório Violência contra os Povos Indígenas no Brasil Dados de 2014, Publicação do Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

Sader, E. (2005): “Hegemonia e contra-hegemonia”, en Ceceña, A. E. (comp.), Hegemonias e emancipações no século XXI, Buenos Aires, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, pp. 15-35.

Tarrow, S. (1997): El poder en movimiento: Los movimientos sociales, la acción colectiva y la política, Madrid, Alianza Editorial.

Tilly, C. (1977): From mobilization to revolution, University of Michigan.

Vianna Jr, A. (org) (1998): As Estratégias dos Bancos Multilaterais, Brasília, Rede Brasil.

Von Bülow, M. (2009): “Sociedade civil e negociações comerciais: A construção de um novo campo de ação nas Américas”, Revista Crítica de Ciências Sociais, N° 86.

______________ (2008): “Transnational Collective Action and Regional Integration: the dynamics of civil society networks”, Globalization Studies Network (GSN) Conference, Waterloo, Canada.

Von Bullow, M. (2009): “Atores não-estatais e os Estudos Internacionais na América Latina: do casillero vacío às redes transnacionais”, en Jaramillo, G. (comp.), Relaciones Internacionales: los Nuevos Horizontes, Quito, FLACSO.

____________ (2010): “Brokers in Action: Transnational Coalitions and Trade Agreements in the Americas”, Congress of the Latin American Studies Association, Toronto.

Wallerstein, I. (1976): Modern World-System: Capitalist Agriculture and the Origins of the European World-Economy in the Sixteenth Century, New York, Academic Press.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2018 Revista de la Red Intercátedras de Historia de América Latina Contemporánea - Segunda Época

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

 

 


 

  • ISSN: 2250-7264. 
  • Contacto: E-mail: rrihalc@ffyh.unc.edu.ar / E-mail alternativo: revista.rihalc@yahoo.com. ar. Tel.: +54-351-4334062

  • Editorial: Escuela de Historia. Facultad de Filosofía y Humanidades, Universidad Nacional de Córdoba

    Pabellón España, Ciudad Universitaria

    5000 - Córdoba

    Argentina