Brasil na África: périplos e escritos de franceses e brasileiros no continente africano na primeira metade do século XX

  • Isabel Cristina Naranjo Noreña
Palabras clave: África, Intelectuais, Pensamento Social Brasileiro

Resumen

O presente artigo se propõe desvendar o caráter das relações que intelectuais nacionais e estrangeiros estabeleceram com o continente africano e a sua influência na formação do que tem sido denominado Pensamento Social Brasileiro durante a primeira metade do século XX. Com este intuito, serão abordados alguns aspectos das trajetórias e périplos pela África juto com as produções académicas, artigos jornalísticos e diários de viagens decorrentes das mesmas de intelectuais como Gilberto Freyre, Pierre Verger, Luís da Câmara Cascudo e Roger Bastide.

Citas

Bastide, Roger (1971) [1960]: As religiões africanas no Brasil. Contribuição a uma sociologia das interpenetrações de civilizações, 2 volumes, Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais, São Paulo.

____________ (2001) [1958]: O candomblé da Bahia: rito Nagô, Companhia das Letras, São Paulo.

Cascudo, Luís da Câmara (1965): Made in África, Editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro.

Costa e Silva, Alberto da (2011) [2003]: Um rio chamado atlântico: a África no Brasil e o Brasil na África, Nova Fronteira, Rio de Janeiro.

Cunha, Manuela Carneiro da (2012) [1985]: Negros estrangeiros: Os escravos libertos e sua volta à África, Companhia das Letras, São Paulo.

Freyre, Gilberto (1953): Um brasileiro em terras portuguesas. Introdução a uma possível luso-tropicologia, acompanhada de conferências e discursos proferidos em Portugal e em terras lusitanas e ex-lusitanas da Ásia, da África e do Atlântico, Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro.

_____________ (1980) [1953]: Aventura e rotina: sugestões de uma viagem à procura das constantes portuguesas de caráter e ação, Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro.

Guran, Milton (200): Agudás: os “brasileiros” do Benim, Nova Fronteira, Rio de Janeiro.

Lühning, Angela, “Pierre Fatumbi Verger e sua obra”, Afro-Ásia, no 21-22, 1998-1999, pp. 315-364.

Mailhe, Alejandra (2008), “Janos bifrontes. Paradojas en la percepción del mundo negro en el ensayismo brasileño, 1930-1950”. VII Jornadas de Investigación en Filosofía, Universidad Nacional de La Plata, Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación La Plata.

_________________ (2008a): “Una celebración de los orígenes espúrios. Mestizaje y cultura portuguesa en el luso-tropicalismo de Gilberto Freyre”, em Alejandra Mailhe; Emir Reitano, organizadores, Pensar Portugal. Reflexiones sobre el legado histórico y cultural del mundo luso en Sudamérica. Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, La Plata, pp. 331-358.

Massi, Fernanda (1989): “Franceses e Norte-Americanos nas Ciências Sociais Brasileiras (1930-1960)” em Sergio Miceli, organizador, História das Ciências Sociais no Brasil, Volume I, Edições Vértice, São Paulo, pp. 410-460.

Motta, Antonio e Oliveira, Luíz (2012): “Made in Africa. Gilberto Freyre, Câmara Cascudo e as continuidades do Atlântico negro, em Livio Sansone, organizador, Memórias da África: patrimônios, museus e políticas das identidades. EDUFBA, Salvador, pp. 213-260.

Peirano, Mariza (1981): The anthropology of anthropology: the Brazilian case, tese de doutorado em Antropologia, Massachusetts, Harvard University, Cambridge.

Peixoto, Fernanda Arêas (2000): Diálogos brasileiros: uma análise da obra de Roger Bastide, Editora da Universidade de São Paulo, São Paulo.

_____________________, “Bastide e Verger entre “áfricas” e “brasis”: rotas entrelaçadas, imagens superpostas”, Revista IEB, no 50, 2010, pp. 13-66.

Veloso, Mariza, “Gilberto Freyre e o horizonte do modernismo”, Sociedade e Estado. V. XV, 200, pp. 361-386.

Verger, Pierre (1987) [1968]: Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o golfo de Benin e a Bahia de Todos os Santos: dos séculos XVII a XIX, Corrupio, São Paulo.

______________ [1958], “As múltiplas atividades de Roger Bastide na África”, Revista USP, no18, 1993, pp. 43-54.

Vilhena, Luís Rodolfo (1997): “África na tradição das Ciências Sociais no Brasil”, em Ensaios de Antropologia. EdUERJ, Rio de Janeiro, pp. 127-166.

Publicado
2015-06-01