Nuno Ramos: citação, descontinuidade, devir

  • João Paulo Andrade Universidade do Estado de Minas Gerais

Resumen

O artigo investiga a produção do artista brasileiro Nuno Ramos a partir de chaves conceituais que permitem um trânsito por suas obras a partir da perspectiva de um limite da comunicação e da linguagem.

Biografía del autor/a

João Paulo Andrade, Universidade do Estado de Minas Gerais

Mestrando do programa de Pós Graduação
em Artes da Universidade do Estado de Minas
Gerais com pesquisa financiada pela CAPES.
Atua como Arte-educador desde 2008 desenvolvendo
ações de mediação e formação
de público para instituições como Fundação
Clóvis Salgado, Instituto Inhotim, Casa Fiat
de Cultura e Centro Cultural Banco do Brasil.
Atualmente pesquisa as relações entre artes
visuais, experiência estética e mediação, sob
a ótica do observador contemporâneo.

Citas

- Giorgio Agamben, O homem sem conteúdo (Belo Horizonte: Autêntica, 2012).

- Kátia Canton, Tempo e memória (São Paulo: Martins Fontes, 2009).

- Arthur Danto, Após o fim da arte: a arte contemporânea e os limites da historia (São Paulo: EdUSP, 2006).

- Rosalind Krauss, Caminhos da Escultura Moderna (São Paulo: Martins Fontes, 1998).

- Nuno Ramos, Cujo (São Paulo: Editora 34, 2011).

- __________, Ó. (São Paulo: Iluminuras, 2008).

- Nuno Ramos, Ricardo Sardenberg y Alberto Tassinari, Nuno Ramos (Rio de Janeiro: Cabogó, 2010).

- Sônia Salzstein, “Questões de materialidade”, em Guia das artes (São Paulo, vol. 3, no. 11, p. 42- 46, 1988).

- Paulo Venancio Filho, A Presença da Arte (São Paulo: Cosac Naify, 2013).

- François Zourabichvili, O Vocabulário de Deleuze (Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004).

Publicado
2017-09-01
Cómo citar
Andrade, J. P. (2017). Nuno Ramos: citação, descontinuidade, devir. Artilugio, (3). Recuperado a partir de https://revistas.unc.edu.ar/index.php/ART/article/view/17857
Sección
Reflexiones / Artículos